quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

POEMA DO AMOR INACABADO


Verde campos, vastos
Que se revelam na imensidão dos teus olhos.
Olhar bem dentro dos teus olhos
é como mergulhar em um labirinto
Que nenhum arquiteto ousou projetar
Deixo-me ao Infinito
Infinito que não enxergo
Mas que imagino...
A cada passo sinto o cheiro das flores,
da primavera, do mar.